Muitas pessoas acreditam que praticar a disciplina positiva é sinônimo de criança sem regras, deixar fazer o que quiser, ser permissivo. Isso ocorre porque há anos somos ensinados que para educar direito é necessário aplicar punições e autoritarismo, mas será que isso é realmente verdade?

A Disciplina Positiva busca ajudar os adultos a educar as crianças através do respeito mútuo, com gentileza, mas sem permissividade.

Jane Nelsen, escritora norte-americana e criadora da Disciplina Positiva, em seu livro “A Disciplina Positiva” relata que “a base para uma autoestima saudável é quando as crianças desenvolvem as crenças de que ‘Eu sou capaz’.” E quando a autoestima se desenvolve desde a infância de forma saudável, isso faz com que se torne adultos mais seguros.

 

Agora vamos refletir um pouco?

Você já parou para pensar quais características deseja que seu filho tenha no futuro?

 

Provavelmente você pensou algumas como:

honestidade;

sinceridade;

respeito;

amoroso;

gentileza.

Porém para que ele desenvolva essas características e outras como amorosidade e confiança, nós enquanto pais e educadores, temos papel fundamental neste processo.

De acordo com Jane Nelsen ao aplicar o método de punição, criamos o que ela chama de 4Rs, sendo eles:

 

1. Ressentimento – onde a criança sente que aquilo não é justo e que não pode confiar no adulto.

2. Retaliação – onde a criança sente que o adulto está ganhando naquele momento porém ela poderá se vingar.

3. Rebeldia – onde ocorre pensamentos como “não irei fazer isso, pois vou provar que não preciso fazer as coisas do jeito dele”

4. Recuo – que são pensamentos como “eu sou uma pessoa ruim”

 

Quando as crianças crescem com esses sentimentos, elas podem ter conclusões errôneas sobre si mesma ou então ficar buscando aprovação das pessoas.

Nós adultos variamos muito o nosso humor e comportamento de acordo com as situações que tivemos no dia, fazendo com que a gente transite entre a permissividade e o controle excessivo, mas quando nos tornamos conscientes nestes momentos, temos a oportunidade de refletir e agirmos de forma gentil e firme.

Autora: Alessandra Bizeli O. Sartori – Mestre em saúde da criança e do adolescente (UNICAMP).

Parceria: Clínica Sabiamente

0 comentários

Deixe um comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *